VI Workshop de piscicultura do noroeste paulista min

A sexta edição do Workshop de Piscicultura do Noroeste Paulista, realizado em 20 de fevereiro pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio do Instituto de Pesca (IP-APTA), em parceria com a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), Prefeitura de Votuporanga e SEBRAE, reuniu cerca de 100 participantes de associações de produtores rurais no Centro de Seringueira e Sistemas Agroflorestais do IAC, em Votuporanga (SP).

Na oportunidade, foi apresentada uma nova tecnologia de produção de tilápias usando substratos submersos com o objetivo de incrementar a produção de alimento natural, que substitui até 50 % das rações comerciais em cultivos intensivos em viveiros escavados e superintensivos em tanques-rede. Esta substituição resulta em redução do custo de produção e aumento da renda ao piscicultor.

De acordo com Fabiana Scaloppi Garcia, pesquisadora do IP que conduz a pesquisa com os substratos e coordena o Workshop, o incremento da rentabilidade por unidade de produção possibilita que pequenos produtores ingressem na atividade, obtendo renda em pequenos módulos produtivos. A possibilidade de certificação deste pescado com o objetivo de atender nichos de mercado como o de alimentos orgânicos e sustentáveis também foi abordada.

“Este evento, como acontece todos os anos, foi direcionado aos produtores rurais que já trabalham ou pretendem ingressar no ramo da piscicultura. Eles vieram acompanhados por técnicos da CATI e puderam vivenciar a experiência da adoção desta tecnologia de produção de tilápias usando substratos submersos na teoria e na prática”, conta Fabiana.

No período da manhã, foram apresentadas quatro palestras técnicas proferidas pela coordenadora do evento e pelos pós-graduandos Roberta Almeida, Denis Johansen e Luiz David, todos do Centro de Aquicultura da Universidade Estadual Paulista (UNESP).

Já o período da tarde foi destinado aos relatos da experiência de cada uma das associações e órgãos de governo convidados: Associação de Produtores Rurais de Itajobi, que relatou a integração da produção de limão e tilápias; o Instituto de Terras do Estado de São Paulo (ITESP), que apresentou a inclusão da piscicultura no plano de desenvolvimento do Pontal do Paranapanema; a Associação dos Produtores Rurais de Riolândia, com a experiência da tilapicultura em tanques-rede e implantação da planta processadora de pescado pelo Programa Microbacias da CATI; a Cooperativa de Piscicultores de Santa Fé do Sul e região (COODESPI), que relatou a formação da cooperativa a partir do projeto de unidades demonstrativas do Governo Federal; e os produtores de alimentos orgânicos da região de Jales, que estão iniciando a piscicultura e buscam tecnologias de produção de pescado com certificação.

Os participantes receberam dois exemplares da revista Aquaculture Brasil contendo matérias escritas pelos palestrantes sobre o tema do evento. Além disso, os alunos do curso de gastronomia do Centro Universitário de Votuporanga (UNIFEV), sob coordenação da professora Dreysa D’Antonio Domingos Borges, prepararam degustações regionais com ingredientes doados pelas associações participantes.

Ao final da tarde, mesmo sob chuva, os participantes visitaram o setor de piscicultura do Instituto de Pesca onde os experimentos apresentados estão sendo executados (vitrine tecnológica) e tiraram duvidas na prática. 

 

 

Mais informações:

Assessoria de Comunicação 
Secretaria de Agricultura e Abastecimento 
Instituto de Pesca 
(11) 3871-7549 ou 3871-7550
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.